contato@montrealnet.com.br
(31) 3817-1376
1bb80b6a198bca2568965fc3290893dd.jpg

A importância do ENEM

   Chega uma hora em que o futuro deixa de ser uma coisa distante e passa a bater na porta com insistência crescente: é a hora de entrar para a universidade. Reconhecido hoje como uma das mais importantes formas de acesso ao nível superior, o Exame Nacional do Ensino Médio, o famoso Enem, mostrou-se também extremamente democrático, socializando a porta de entrada na faculdade entre ricos e pobres, sepultando de vez o antigo vestibular.
   Simulados, aulas extras, cursos online, tudo vale para ter a melhor avaliação possível no Enem e ter sua vaga garantida em alguma – ou algumas – das mais de mil instituições de ensino superior do país, entre particulares e públicas. Rompendo barreiras, é ele também um fator determinante para a seleção de bolsistas do Programa Universidade para Todos (ProUni) e para o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies).
   Através do ProUni, por exemplo, dependendo da nota obtida no Enem é possível conseguir até 100% de desconto nas mensalidades das universidades particulares. Não é à toa que o número de participantes também não para de crescer. Não esqueça: de acordo com o QS World University Ranking 2014, o Brasil tem 22 entre as 800 melhores universidades do mundo, sendo 14 federais, cinco estaduais e três particulares. Este ano serão 5,3 milhões de estudantes avaliados pelo exame, 700 mil a mais do que em 2013.
   Apesar de alguns problemas acontecidos no passado, a crescente credibilidade do Enem pode ser medida na proporção exata em que também aumentam, ano a ano, as vagas em universidades federais através do Sistema de Ingresso Unificado, o Sisu, aquele em que a seleção é feita exclusivamente com base nas notas obtidas no Enem.
   Além delas, no entanto, mesmo as universidades que não substituíram completamente o antigo vestibular pelo Enem como forma de ingresso utilizam o exame de outras formas no processo seletivo, como parte da nota do próprio vestibular ou bonificação na nota do candidato, seja em fase única ou não, por exemplo.
   O Enem ampliou o leque de possibilidades dos estudantes que, por outro lado, também contam com várias novas formas de preparação para o exame nacional. Hoje o Enem possibilita que o candidato concorra automaticamente a universidades do país inteiro, não apenas na sua região, multiplicando as chances de ingresso no nível superior. Este ano pelo menos 30 as universidades federais que usarão o Enem como processo seletivo, com as adesões recentes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Universidade Federal de Itajubá (Unifei), em Minas Gerais.
   Hoje, também, o candidato conta com cursos online, que podem ajuda-lo em diversas matérias do exame, e que pode ser feito em qualquer hora ou lugar. Mais, ao final o estudante tem ainda um certificado que pode contar como título em concursos públicos, por exemplo, ou, no caso dos cursos profissionalizantes, ainda se tornar uma fonte de renda enquanto cursa a universidade.
   É preciso abraçar cada oportunidade, investir no futuro que está cada vez mais próximo para que ele se torne uma realidade de sucesso, porque o sucesso não é só possível, ele é provável para quem se dedica a ele. Se as portas estão sendo abertas pelo Enem, atravessá-las depende apenas de você. Foque na prova e em seus objetivos e persevere no seu ideal de futuro, porque ele está esperando por você para se tornar o presente que você sempre sonhou.

A importância de aprender inglês

   Aprender inglês deixou de ser um diferencial para se tornar uma necessidade. O idioma é a língua oficial em vários países e a segunda em tantos outros. O inglês também é o idioma oficial de órgãos internacionais, como a ONU (Organização das Nações Unidas) e a UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura), por exemplo.

   Com a globalização, o inglês se tornou a língua do mundo: dos estudos, das viagens, dos negócios, da comunicação global. No mercado de trabalho, por exemplo, o inglês não é mais exigido apenas para os cargos de diretoria ou gerenciais, mas também aos operacionais.
   Se você quer se destacar no mercado de trabalho, ter acesso aos melhores conteúdos culturais, fazer um intercâmbio, conseguir uma bolsa de mestrado, desfrutar plenamente das suas viagens ou apenas entender a letra da sua música favorita, comece já o seu curso de inglês.

Existe idade limite para aprender inglês?

   Se você já não está mais em sua adolescência ou no auge da juventude e já desfruta dos benefícios da vida adulta ou da ‘melhor idade’, saiba que ainda dá tempo, sim, de aprender inglês! Claro que não será tão fácil como para uma criança de seis anos, mas pela sua vivência você teve tempo para aprender a ter paciência e persistência. Então, let’s go!
   Lembre-se: o que você precisa é buscar a fluência no idioma. Então, não se preocupe demais com a gramática, as regras e a pronúncia perfeita. Vá no seu ritmo e não gaste seu tempo com coisas de menor importância. Você deve estar ciente de que a forma de aprendizado será diferente de quando estava no período escolar formal. Por isso, converse com o seu professor para descobrir suas atuais dificuldades (memorização, compreensão, pronúncia etc.). Ele certamente poderá ajudá-lo!

Cinco passos para você aprender inglês

   Para aprender inglês, é preciso mais do que encontrar uma boa escola e fazer a matrícula. Isso é apenas o início de uma longa trajetória, que tem alguns passos fundamentais:

1. Organize-se

   Você precisará organizar o seu dia e a sua rotina, tanto para conseguir se deslocar até a sua escola de inglês quanto para fazer os exercícios diários e utilizar ferramentas extraclasse, como dicionários virtuais, jornais em inglês e demais recursos.

2. Planeje-se

   Para aprender inglês, você precisa traçar a sua meta de aprendizado: por exemplo, se você estiver estudando inglês para realizar uma viagem de negócios ou intercâmbio, será mais fácil definir as suas metas, afinal, já tem o seu objetivo bem definido.

3. Seja regular

   Nada de estudar inglês 15 minutos antes de entrar na sala de aula e encarar o professor. Procure estudar diariamente, a ponto de criar uma rotina de estudos. Cada atividade de casa tem a sua função específica, que é desenvolver leitura, audição e fala do idioma. Por isso, realize cada uma regularmente.

4. Exponha-se

   Não perca nenhuma oportunidade de se expor ao idioma. Isso quer dizer que você não deve perder uma chance sequer de interagir em sala de aula, de tirar suas dúvidas, de participar de sites, bate-papos, de recorrer à literatura ou a filmes em inglês. Lembre-se: em sala, é o momento de cometer todos os erros possíveis, pois terá quem o ajude.

5. Aprenda com o que gosta

   Se você gosta de livros, por que não ler em inglês? Recorra a tudo o que lhe interessar e que puder ajudá-lo no seu processo de aprendizagem.

Página 3 de 3